Coleções de Revistas Científicas
 
Home > Coleção da BIREME > Procedimentos de Preservação
 
Procedimentos de Preservação

PROCEDIMENTOS

CONTROLE DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS
Controle dos fatores externos de degradação:

  • Embalagens para acondicionamento de volumes, que tem a função de proteger o material contra agentes externos ou ambientais.
  • Higienização do espaço físico e do acervo bibliográfico, eliminando a poeira e outras sujidades, que são elementos atrativos de insetos e roedores e que tornam o ambiente propício à proliferação de fungos e bactérias.


HIGIENIZAÇÃO

1) Acervo bibliográfico
Limpeza mecânica ou a seco:

  • Uso do aspirador de pó nas lombadas e cortes superior, inferior e lateral,
  • Nas estantes a limpeza das prateleiras e volumes deverá ser de cima para baixo e da esquerda para direita,
  • As prateleiras com volumes deverão ser limpas com um pano levemente umedecido em uma solução de água e antibactericida (Lysoform), e em seguida, deve-se passar outro pano seco e aguardar a secagem total para depositar novamente os documentos na prateleira,
  • Uso de trincha macia, para higienização das folhas internas,
  • Uso de bisturi, pinças, swab e espátulas para remoção mecânica de sujidades diversas,
  • Oxigenação dos volumes, ou seja, folhear o livro em forma de leque, da direita para a esquerda e vice-versa,

2) Limpeza do espaço físico

A limpeza do espaço físico do acervo do 2° e 3° andares, deverá acontecer da seguinte forma:

  • Passar pano levemente umedecido em água no chão, estantes vazias e mesas, três vezes por semana,
  • Quinzenalmente passar pano levemente umedecido, embebido em uma solução de água e antibactericida (Lysoform),
  • Quinzenalmente fazer a limpeza utilizando o aspirador de pó robotizado, que contém recipiente com água aclopado que evita que as partículas de poeira retornem ao ambiente,
  • Nunca utilizar vassoura para varrer o chão
  • O pano deve conter o mínimo de água possível

Esse trabalho poderá ser realizado em qualquer horário, inclusive durante o expediente dos atendentes, não implicando em nenhum problema para o desenvolvimento normal das atividades do acervo.

GUARDA ADEQUADA

  • Os volumes devem ser guardados nas estantes em posição vertical,
  • Os volumes de grande formato e que estejam com a estrutura fragilizada, devem ser armazenados em posição horizontal (sobrepor no máximo três volumes),
  • Nunca manter as estantes compactadas de forma a provocar danos ao retirar o volume da estante,
  • O corpo do volume não deverá ultrapassar as margens das prateleiras, avançando no espaço do corredor, para não correrem o risco de queda,
  • Os volumes devem ser colocados de forma a encher as prateleiras, não permitindo sua inclinação para um lado ou outro,
  • Utilizar bibliocanto quando for necessário para evitar o tombamento dos volumes,
  • Quando o volume for muito alto para ficar de pé, as estantes deverão ser reorganizadas,
  • Nunca armazenar os volumes com a lombada voltada para cima e o corte lateral voltado para baixo, esta posição acarreta o enfraquecimento das costuras,
  • Nunca retirar um volume da estante puxando-o pela borda superior da lombada, isso faz com que a lombada se desprenda da capa. Deve-se empurrar os livros que se encontrem ao lado e depois puxá-lo suavemente pela parte mediana da encadernação,
  • Fazer o uso de carrinhos adequados para o transporte dos volumes, sem, no entanto, formar pilhas muito altas ou superlotá-lo, a fim de evitar acidentes durante o transporte.

ACONDICIONAMENTO

  • Invólucros de poliéster: utilizados em revistas que estejam com folhas faltantes, danificadas ou que sejam freqüentemente consultadas, a fim de evitar maiores perdas ou danos no percurso entre o depósito e o consulente e vice-versa.
  • Pastas de polionda: para acondicionamento de revistas de grande formato, muito finas ou com estado de degradação avançado e que não sejam muito consultadas, a identificação da coleção será através de etiqueta adesiva, colocada na lombada da pasta.
  • Caixas ou port-folios de papel alcalino: serão utilizados em casos especiais, como por exemplo, um volume raro, com estado de degradação avançado ou com o acabamento em couro que esteja deteriorado ou liberando uma substância poeirenta e vermelha e que não possa ficar em contato com livros de revestimento de papel ou ainda em outras circunstâncias, que este volume precise necessite de circular pela biblioteca sem que isto acarrete maiores danos ao material. 

PEQUENOS REPAROS
Os remendos, enxertos, obturações e reparos em geral, serão executados em materiais que apresentarem as seguintes características:

  • Rasgos nas folhas ou capas,
  • Perda de suporte das folhas ou capas,
  • Lombada rasgada ou danificada,
  • Capa separada do corpo do livro,
  • Guarda separada do corpo do livro,
  • Folhas dobradas, vincadas que necessitem reforços para evitar rasgos,
  • Capas com extremidades dobradas
  • Inserção de páginas,

Importante:A inserção de páginas dependerá do número de folhas e largura da margem interna, caso sejam mais estreitas que 1 (um) cm, e o material a ser inserido seja muito grosso, deverá ser reencadernado com o livro.

Materiais para pequenos reparos
Serão adotados procedimentos e materiais que respeitem o princípio da reversibilidade:

  • Cola Methil Celulose, solúvel em água,
  • Fitas adesivas, livres de componentes ácidos e reversíveis, da linha Neschem ou Lineco,
  • Papéis japoneses, apropriados para reparos, pelo seu alto teor de fibras e baixas gramaturas,


ENCADERNAÇÃO

Normas

  • Volumes ou fascículos que por serem muito grossos, oferecerem dificuldades ou danos ao material quanto ao  manuseio, deverão ser divididos em partes,
  • O limite de espessura de cada volume deverá ser de no máximo 2,5 cm
  • A capa deverá ser conservada quando não houver folha de rosto
  • As páginas com propagandas e que não sejam numeradas deverão ser retiradas
  • Qualquer observação com relação a alteração do material deverá ser comunicado ao encadernador.

Encadernação Comercial

É apropriada para Publicações Correntes, coleções anuais ou mensais, disponíveis ou existentes também em outras bibliotecas da rede Bireme.

Deve ser utilizada em materiais que apresentem as seguintes características:

  • Boa condição física,
  • Margens internas largas, seja em material original ou cópia; caso o material não tenha essa característica, fazer pedido de cópias com margem apropriada,
  • O volume a ser encadernado deve estar com fascículo, capítulo e número de páginas completas,
  • O material não deve conter irregularidades como erratas, lâminas, tabelas ou gráficos dobrados,

Tipo de encadernação:

  • Inglesa, também chamada de capa solta; o miolo e a capa são preparados separadamente e depois unidos pela guarda.

Revestimento da capa:

  • Plena: a capa é totalmente revestida com um único material (couro, percalux, percalina ou tecido).

Costura:

  • Simples ou perfurada, realizada com o auxílio de um perfurador e martelo ou furadeira elétrica, são feitas as perfurações, aproximadamente 0,5 cm  para dentro do lombo, por onde se passa uma linha.

Encadernação Especial ou Artesanal 

 Deve ser utilizada em coleções que sejam importantes para a biblioteca e que de acordo com a estatística de uso, ainda são consultadas, mas que não estejam mais sendo impressas.
Ela se aplica ao material que a biblioteca manterá para sempre, se possível, baseando-se no valor excepcional do material, seja pelo fato de ele ser único ou raro, seja porque sua substituição seria extremamente difícil.

Tipo de encadernação:

  • Inglesa, também chamada de capa solta; o miolo e a capa são preparados separadamente e depois unidos pela guarda.

Revestimento da capa:

  • Plena: a capa é totalmente revestida com um único material (couro, percalux, percalina ou tecido).

Costura:

  • Método costurado
    Une as folhas pela lombada com um fio, obedecendo a seqüência de paginação da obra, pode ser feita com o auxílio de um costurador.

Acabamento da estrutura(ideal)
Os métodos acima deverão ser finalizados com a aplicação de folhas de guarda, cabeceado, morim e bolsa de papel (Kraft ou outro adequado).
Para a limpeza dos cortes superior, inferior e da frente do volume o miolo deverá ser lixado.
Importante:A utilização da guilhotina para esta finalidade deverá ser decidida levando-se em consideração as margens e a localização do texto, para não haver corte no conteúdo.

Gravação
A gravação deverá ser uniforme (dourada), caso seja necessário, apresentar uma cópia xerográfica da lombada como modelo.


Bibliografia

SPINELLI JÚNIOR, Jayme. Conservação de acervos bibliográficos & documentais.Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, Depto de Processos Tácnicos, 1997.

LUCCAS, Lucy, SERIPIERE, Dione.Conservar para não restaurar: uma proposta para preservação de documentos em bibliotecas.Brasília: Thesaurus, 1995.

MELO, Leandro Lopes Pereira de,   MOLINARI, Lílian Padilha. Higienização de documentos com suporte em papel. São Paulo; Fundação Patrimônio Histórico da Energia de São Paulo _ Programa de Documentação arquivística, 2002.

BECK, Ingrid et al. Manual de Preservação de Documentos. Rio de Janeiro, Ministério da Justiça, Arquivo Nacional, (Publicações Técnicas), 1997.